Google+ Badge

Google+ Badge

Google+ Badge

Rádio Líder FM de Acopiara

sábado, 11 de abril de 2015

10 dicas para superar a crise econômica

Com um ano difícil pela frente, economista aponta ações para as empresa não fecharem
gestão-de-cris
  
O pacote de medidas econômicas anunciado pela equipe da presidente Dilma Rousseff já era previsto por economistas. A fim de buscar um equilíbrio nas contas a opção foi aumentar a receita e diminuir as despesas. As consequências dessas decisões vão bater, brevemente, à porta dos empresários, que já sofrem com a alta carga tributária e problemas de infraestrutura.
Para superar esse momento de pessimismo e manter os negócios, o economista e consultor da SBA Associados, Nelson Leite, diz que o jeito é fazer a lição de casa. Leite, que é especialista em gestão comercial, listou dez ações necessárias para que as empresas sofram o menos possível com as duras ações do governo e cheguem ao final de 2015 bem. Confira:
1 – Reduzir custos fixos de forma a minimizar o ponto de equilíbrio, eliminar desperdícios, evitar e diminuir despesas ou adiá-las. Aja proativamente.
2 – Gerenciar e controlar duramente o capital de giro. Evite os bancos, seja para empréstimos ou descontos de duplicatas. Factoring, nem pensar
3 – Executar branding.  Leite explica que a marca é um ativo de valor inestimável nessas horas. “Também faça uma análise da carteira de clientes. Qualifique-a em volume de vendas e lucratividade oferecida. Se trabalhar diretamente com varejo, faça um programa agressivo de fidelização,” aponta o economista.
4- Analisar o mix de produtos. O consultor diz que é hora de dar preferência aos produtos de maior valor agregado e eliminar os que não dão retorno ou dão retorno muito baixo ou ainda produtos complicados e que não foram aceitos no mercado. “Invista em diferenciação. Crie novos serviços ou amplie os existentes”, argumenta.
5 – Trabalhar, preferencialmente, sob pedido. Isso evitará saldos, perdas de margem e de lucro.
6 – Pesquisar seus mercados. Nelson explica que hoje a crise é de confiança e os clientes estão comprando crédito mais do que produto. “Seu crédito está competitivo? Ofereça-o seletivamente observando o histórico dos seus parceiros comerciais. Cuidado com a inadimplência. Ouça o que seus clientes estão lhe dizendo. Entenda-os e os atenda com soluções e não apenas com produtos e serviços de forma descomplicada e ágil”, afirma.
7 – Envolver e manter comprometida toda equipe, desde o mais simples funcionário até aquele com maior autonomia para decidir. “Faça-o exercer essa autonomia e assumir riscos”, diz o consultor.
8 – Investir em comunicação. “Tenha um plano de mídia competente, isto é, aquele que atende o seu mercado e este o entenda. Avalie-o com rigor e capriche no lançamento dos produtos. Saia da mesmice”.
9 – Ampliar e qualificar a equipe de vendas, mantendo-a informada sobre alterações de preço com antecedência, afinal, o mercado não gosta de surpresas negativas.
10 – Não dramatize a situação que já não está boa. O país não vai acabar e a sua empresa não irá morrer se você fizer minimamente a lição de casa. Nada de pânico ou drama. Aja. Menos discurso e mais ação. E, se for contratar consultoria, aprenda a contratar consultoria competente, isto é, não se impressione com discursos, currículos e títulos. Veja o que já fez ou está fazendo em outras empresas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário