Google+ Badge

Google+ Badge

Google+ Badge

Rádio Líder FM de Acopiara

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Felipe Melo consegue liberação e aguarda anúncio do Palmeiras


Felipe Melo deve ser confirmado no Palmeiras em breve - Reuters

O volante Felipe Melo deve se tornar oficialmente jogador do Palmeiras nas próximas horas. Nesta terça-feira, a empresa que faz a assessoria de imprensa do jogador revelou que ele conseguiu a liberação da Inter de Milão, o seu atual clube, o que abre caminho para a assinatura de um contrato com o time paulista.

"Foram positivas as tratativas entre Felipe Melo e Inter. Qualquer informação, a partir de agora, será com o Palmeiras", anunciou a Fair Play Assessoria em seu perfil no Twitter, confirmando que as pendências envolvendo o clube italiano estão resolvidas. 

O empresário de Felipe Melo, o espanhol José Rodri, havia viajado na última segunda-feira para Milão, onde tinha reunião agendada com os dirigentes da Inter para discutir o fim do vínculo do jogador com o clube italiano. E de acordo com esse comunicado da assessoria do volante, essas negociações foram positivas. 

Entre Felipe Melo e o clube paulista as conversas estão adiantadas. O salário já foi discutido, assim como as condições do contrato. O jogador tem interesse de disputar a Copa Libertadores e voltar ao futebol brasileiro, onde não atua desde 2004. 

Flamengo, Cruzeiro e Grêmio foram os clubes em que o atleta passou antes de se transferir à Europa. O volante, de 33 anos, também disputou a Copa do Mundo de 2010 e a Copa das Confederações de 2009 pela seleção brasileira. 

A saída dele da Inter ficou praticamente definida depois de o técnico do time, Stefano Pioli, não relacioná-lo para o um período de treinos de intertemporada em Marbella, na Espanha. De todo o elenco da equipe, somente três jogadores não foram incluídos na viagem. Dos ausentes, Felipe Melo é o único que não tem problemas físicos.

A diretoria do Palmeiras já fechou a chegada de cinco jogadores para reforçar o elenco campeão brasileiro. O clube contratou os meias Michel Bastos (ex-São Paulo), Hyoran (ex-Chapecoense), Raphael Veiga (ex-Coritiba) e Guerra (ex-Coritiba), além do atacante Keno (ex-Santa Cruz) e do técnico Eduardo Baptista. O próximo nome a ser anunciado deve ser mesmo o de Felipe Melo.

band uol

Flamengo anuncia contratação de Conca para temporada 2017


Conca foi anunciado pelo Flamengo - Divulgação/Flamengo

O Flamengo anunciou a chegada de um reforço de peso para a temporada 2017. No fim da noite de segunda-feira, a diretoria do clube carioca confirmou a contratação do meia argentino Darío Conca, que estava defendendo o Shangai SIPG, da China, clube que recentemente se reforçou com o brasileiro Oscar.

De acordo com o Flamengo, Conca, de 33 anos, chega ao time carioca cedido por empréstimo até 31 de dezembro de 2017. E o argentino vai se apresentar ao seu novo clube em 11 de janeiro, no Ninho do Urubu.

Conca, porém, deve demorar algum tempo para fazer a sua estreia pelo Flamengo. O meia ainda se recupera de uma lesão no joelho esquerdo, sofrida em agosto, quando estava no futebol chinês. Assim, o clube espera contar com o jogador na fase de grupos da próxima edição da Copa Libertadores, que começará em março.

O novo reforço do Flamengo é um velho conhecido do seu torcedor, pois já defendeu outros dois gigantes do futebol do Rio, o Vasco em 2007, e o Fluminense, entre 2008 e 2011 e depois em 2014 e no início de 2015. Pelo clube das Laranjeiras, aliás, se consagrou com a conquista do título do Campeonato Brasileiro de 2010.

Na China, antes do Shangai SIPG, Conca defendeu o Guangzhou Evergrande. O meia argentino iniciou a carreira no River Plate, depois passando por Universidad Católica e Rosario Central, antes de chegar ao futebol brasileiro.

A contratação de Flamengo foi anunciada através das rede sociais com o clube fazendo mistério, depois brincando com os rivais ao lembrar uma foto de janeiro 2015 com Paolo Guerrero, então no Corinthians, e Conca, então no Fluminense, com o personagem Mickey, para promover a Florida Cup. Foi a deixa para uma brincadeira "Só falta o Mickey", publicou o clube carioca.

Conca é o segundo reforço a chegar ao Flamengo para a temporada 2017. Anteriormente, o clube carioca se reforçou com o lateral-esquerdo peruano Miguel Trauco.

band uol

Sérgio Aguiar fala em independência, mas sem ranço com Camilo, Cid e Ciro

O deputado estadual Sérgio Aguiar (PDT), que concorreu à Presidência da Assembleia Legislativa como dissidente da base aliada ao Governador Camilo Santana (PT), saiu do embate político sem carregar ranço, nem ressentimento dos irmãos Ferreira Gomes e poderá continuar como integrante do grupo parlamentar de sustentação política e administrativa ao Palácio da Abolição. Essa leitura é de um dos colegas de bancada de Sérgio Aguiar que trabalha para mantê-lo como aliado de Camilo, Cid e Ciro Gomes.
A disputa pelo comando da Assembleia Legislativa criou fissuras na ala governista e rachou a oposição. O presidente reeleito José Albuquerque (PDT) atraiu votos da oposição – como Agenor Neto e Audic Mota (ambos do PMDB), e provocou o rompimento do conselheiro e presidente do TCM, Domingos Filho, com o grupo político dos irmãos Ferreira Gomes.
Domingos convenceu os deputados estaduais sob a sua influência a apoiarem a candidatura de Sérgio Aguiar, resistiu aos apelos para fortalecer a candidatura de José Albuquerque e acabou provocando o rompimento com o grupo que o fez, em 2007, presidente da Assembleia Legislativa e, em 2010, vice-governador na chapa do então governador reeleito Cid Gomes.
A briga pela Presidência do Legislativo estadual levou o conselheiro Domingos Filho a se aliar aos senadores Tasso Jereissati (PSDB) e Eunício Oliveira (PMDB) e ao vice-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa (PR). Quatro dias antes da eleição, Domingos somava, pelo menos, 26 votos e os números deixaram entusiasmados os caciques do PMDB, PSDB e PR. Com esse cenário, Sérgio Aguiar se transformou no caminho para Domingos construir com Tasso, Eunício e Roberto o palanque da oposição ao grupo de Camilo, Cid e Ciro nas eleições de 2018. O trio, porém, reagiu e garantiu, por 27 votos a 18, uma vitória de Albuquerque contra Aguiar.
Após a eleição, Sérgio fez um discurso de independência, garantiu, contudo, que votaria nos projetos encaminhados pelo Governo do Estado que fossem de interesse da população, refutou, naquele momento, a possibilidade de deixar o PDT e espera apoio do Governador Camilo Santana às ações e programas a serem realizados nos municípios administrados por correligionários.
O caminho da reconciliação começou a ser reconstruído, embora Sérgio tenha  votado contra à emenda constitucional que extinguiu o Tribunal de Contas dos Municípios. O pai de Sérgio, Chico Aguiar, é conselheiro e atual presidente do TCM e, ao longo de 30 anos, sempre manteve um bom relacionamento com os irmãos Cid e Ciro Gomes. A interlocutores, Sérgio tem dito que não entrará no grupo de oposição, nem seguirá orientação política de Domingos Filho. 
ceara agora

Candidatos a presidente da Câmara começam campanha

Os principais candidatos a presidente da Câmara começam nesta semana a viajar em campanha pelo Brasil. Eles buscam apoio das bancadas para se elegerem em 2 de fevereiro, data da eleição para o comando da Casa e outros cargos da Mesa Diretora.
Apesar de não confirmar publicamente que tentará a reeleição, o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já marcou viagens. Ele convidou a bancada de deputados federais de Pernambuco para um almoço na sexta-feira, no Recife.
Maia tem o apoio da maioria do PSDB, PPS, DEM e de alguns parlamentares da oposição. Embora oficialmente diga que não vai se envolver na disputa, o Palácio do Planalto também trabalha nos bastidores pela reeleição do deputado fluminense.
O foco do presidente da Câmara tem sido garantir apoio do PMDB, maior partido da Casa e a quem o deputado do DEM ofereceu a primeira-vice-presidência da Câmara em sua chapa. Ele também articula para tentar rachar o Centrão, grupo de 13 partidos da base aliada ao governo, liderado por PP, PSD e PTB, e que tem dois candidatos ao comando da Casa.
Centrão. Um dos candidatos do Centrão é o líder do PSD, deputado Rogério Rosso (DF). A exemplo de Maia, Rosso marcou viagens nesta semana. Deve ir a Goiânia e São Paulo para encontros com parlamentares. Ele também pretende viajar para Alagoas e Pernambuco no fim de semana. “Tudo pago pelo meu bolso”, afirmou.
O líder do PSD, que passou o réveillon na Paraíba, aproveitou a viagem para se encontrar com deputados federais do Estado, entre eles Aguinaldo Ribeiro, líder do PP na Câmara, e Rômulo Gouveia (PSD).
Outro candidato do Centrão, o líder do PTB na Casa, deputado Jovair Arantes (GO), ainda não definiu calendário de viagens. Ele marcou para esta terça-feira, 3, reunião com assessores para fazer o planejamento de campanha.
Oposição. Único candidato da oposição até o momento, o deputado André Figueiredo (PDT-CE) não tem previsão de começar viagens. Ex-ministro das Comunicações do governo Dilma Rousseff, ele disse que, por enquanto, vai conversar com líderes da oposição.
“Vamos avaliar a conjuntura no decorrer dessas próximas duas semanas. Nosso grande desafio é buscar a unidade das oposições e apoio de outros partidos, desde que mantendo o objetivo da nossa candidatura, de um Parlamento independente”, disse Figueiredo ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.
O pedetista afirmou que só pretende começar a campanha após 16 de janeiro, data em que a bancada do PT, maior partido de oposição, marcou reunião para decidir como se posicionará durante a eleição da Câmara. No mesmo dia, o PDT também se reunirá para decidir se mantém ou não uma candidatura.
Supremo. Na semana passada, o deputado do PDT entrou com mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal, com pedido de liminar, solicitando que a Corte proíba a candidatura de Maia. Figueiredo sustenta que a candidatura do deputado do DEM é inconstitucional.
Na ação, o ex-ministro afirma que o artigo 57 da Constituição proíbe a reeleição de presidentes do Legislativo no mesmo mandato. Maia, por sua vez, argumenta que o veto não se aplica a presidentes de mandato-tampão, como ele, eleito em julho de 2016 para um período de sete meses, após a renúncia do hoje deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
O mandado de segurança de Figueiredo foi a segunda ação de adversários de Maia contra ele no Supremo. Partido do Centrão, o Solidariedade entrou com ação também pedindo que a candidatura de Maia seja declarada inconstitucional.
Com informações O Estado de São Paulo

sábado, 31 de dezembro de 2016

Diego Souza frustra interessados e renova com Sport até final de 2018

Diego Souza Sport x Vitória Série A (Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press)
As especulações acabaram. Diego Souza é do Sport até o final de 2018. No último dia do ano, o Leão anunciou uma boa notícia para sua torcida: a renovação do contrato do jogador. O fim do vínculo passou de dezembro de 2017 para dezembro de 2018 - com a opção de estender até 2019.
Diego Souza chegou ao Leão em 2014, no meio da disputa do Campeonato Brasileiro. Saiu do clube no ano seguinte, mas a passagem pelo Fluminense não durou muito. Ainda no início de 2015, retornou ao Leão e fez parte da boa campanha do clube no Brasileirão - em que o time acabou na sexta posição.
Mas, individualmente, 2016 foi melhor para o meia. Mesmo com a fraca campanha do Sport na Série A, Diego Souza se destacou. Marcou 14 gols, foi artilheiro da competição ao lado do atacante Fred, do Atlético-MG, e ajudou a livrar o Leão do rebaixamento.
globo esporte

Coutinho desbanca Neymar e ganha prêmio de melhor brasileiro na Europa

Coutinho, Neymar e Gabriel Jesus, Brasil (Foto: GettyImages)
Philippe Coutinho desbancou Neymar e levou o troféu “Samba de Ouro” de 2016, dado ao melhor brasileiro que atua no futebol europeu. O atacante do Barcelona ficou na segunda posição na votação, que é feita pelo site “Sambafoot”. O volante Casemiro, do Real Madrid, foi o terceiro. A escolha é feita baseada em votos de jornalistas, jogadores e ex-jogadores e dos internautas.
Coutinho teve 32,13% dos votos, contra 27,88% de Neymar, que havia conquistado nos dois últimos anos. Casemiro ficou com 13,35% da preferência. O meia-atacante do Liverpool não conquistou títulos em 2016, mas se destacou pelos Reds com 13 gols pelo clube. Ele também encerrou este ano em alta na seleção brasileira e foi um dos artilheiros do Brasil em 2016, com cinco gols marcados.
O brasileiro não joga desde o dia 26 de novembro, quando se lesionou, na vitória por 2 a 0 sobre o Sunderland pelo Campeonato Inglês. Ele se recupera de um problema no tornozelo direito, mas já voltou a treinar e deve retornar aos gramados em janeiro.
Veja todos os vencedores do Samba de Ouro: 
2008: Kaká (Milan) 
2009: Luis Fabiano (Sevilla) 
2010: Maicon (Inter de Milão) 
2011: Thiago Silva (Milan) 
2012: Thiago Silva (PSG) 
2013: Thiago Silva (PSG) 
2014: Neymar (Barcelona) 
2015: Neymar (Barcelona) 
2016: Philippe Coutinho (Liverpool)

globo esporte

Seis pessoas dividirão o prêmio da Mega da Virada

Sorteio da Mega da Virada 2016 (Foto: Reprodução/TV Globo)
Seis apostadores dividirão o milionário prêmio de R$ 220,9 milhões sorteadoneste sábado na Mega da Virada. De acordo com a Caixa, banco responsável pelo concurso, os vencedores são das cidades de Salvador, Campo Grande, Belo Horizonte, Fortaleza, Fazenda Vilanova (RS) e Trizidela do Vale (MA). 

Veja as dezenas sorteadas neste sábado: 05-24-51-22-11-53

Cada vencedor levará, no total, um prêmio de R$ 36.824.758,22. Outros 1.665 apostadores acertaram cinco números e receberão R$ 25.481,21, enquanto, por fazer a quadra, outras 124.889 pessoas receberão R$ 485,30. 

Desde 2009, quando ocorreu o primeiro concurso da Mega-Sena da Virada, 28 brasileiros haviam acertado as seis dezenas, até esta noite. No primeiro ano, o prêmio de R$ 144,9 milhões foi dividido entre dois vencedores. Em 2015, houve o maior número de vencedores na faixa principal: seis apostadores (três deles do Espírito Santo) dividiram o valor de RS 247 milhões, número igualado este ano. Até hoje não houve vencedor solitário na primeira faixa de premiação.

band uol

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Alckmin e Aécio vão medir forças na Câmara

Deputados paulistas decidiram lançar na próxima semana um nome ligado ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) para a disputa pela liderança da legenda na Câmara. Alckmin e o senador Aécio Neves (MG) medem forças internamente tendo como horizonte a eleição presidencial de 2018. Até o início de 2017, a briga será pelo controle de cargos estratégicos no Congresso e o comando da legenda.
Apesar de o PSDB sair das eleições municipais como o maior vitorioso, Aécio, presidente do partido, amargou nova derrota na terra natal – em Belo Horizonte, o candidato tucano João Leite foi derrotado no segundo turno por Alexandre Kalil (PHS). Já o governador paulista, que faturou com a vitória de João Doria (PSDB) em São Paulo no primeiro turno, consolidou o triunfo na segunda etapa de votação e aumentou seu capital político para 2018.
A escolha do líder na Câmara, que ocorrerá na primeira semana de dezembro, é vista no partido como estratégica para a escolha do futuro presidenciável. A representação “alckimista” tem 14 deputados federais de uma bancada de 50.
O coordenador da eleição interna dos “alckmistas” é o deputado Ricardo Tripoli. Além dele, estão cotados os deputados Silvio Torres, secretário-geral do PSDB – que é o favorito -, Vanderlei Macris e Eduardo Cury, todos afinados com o Palácio dos Bandeirantes. “O PSDB foi o grande vencedor do Brasil. Já dentro do PSDB o grande vencedor foi Geraldo Alckmin. Os resultados fortaleceram nacionalmente o governador”, disse Torres ao Estado.
Aliados de Aécio, por sua vez, minimizam a derrota de João Leite em Belo Horizonte e a influência de Alckmin em São Paulo e afirmam que o senador mineiro revitalizou sua liderança nacional nestas eleições municipais. “Aécio continua no páreo. Ele terá influência na sucessão da liderança da bancada. Geraldo Alckmin teve uma grande vitória, mas está preso na missão de governar São Paulo”, afirmou o deputado federal Domingos Sávio, que é presidente do PSDB mineiro.
‘Desserviço’
Ao fazer um balanço sobre as eleições municipais nesta segunda-feira, 31, em Brasília, Aécio evitou comparações com o governador de São Paulo e falar sobre a disputa interna para a escolha do candidato presidencial de 2018. “Felizmente, as alternativas estão aí e são várias. Antecipar esse processo é um desserviço não apenas ao partido, mas àquilo que é essencial: construirmos a nossa agenda, que vai tirar o País da crise, que vai gerar esperança nos agentes econômicos”, disse Aécio.
Em Jaguariúna, no interior paulista, Alckmin também desconversou sobre as próximas eleições presidenciais. “2018 é outro momento. Agora foi encerrada a eleição municipal, que é uma eleição muito importante”, afirmou o governador. “Depois, o futuro a Deus pertence”, completou o tucano.
DISPUTAS INTERNAS
Liderança na Câmara
Em dezembro, haverá a escolha do líder da bancada na Câmara. O grupo do governador Geraldo Alckmin pretende lançar um candidato o que pode levar a uma disputa entre ele, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), e o ministro José Serra.
Presidência da Câmara
A sucessão na Câmara, em fevereiro de 2017, é outro momento determinante para a legenda. O atual líder na Casa, Antônio Imbassahy, e o deputado Carlos Sampaio (SP), ligados a Aécio, são cotados. Do grupo de Serra, o deputado Jutahy Junior (BA) quer concorrer. A sigla reivindica apoio do Planalto e do PMDB para chegar ao comando da Casa.
Executiva Nacional
Em maio do ano que vem, haverá a formação da nova Executiva Nacional tucana. Aliados de Aécio dizem que ele pode renovar o mandato no comando do PSDB, cargo considerado crucial nas articulações internas com vistas à disputa de 2018.
estadao-conteudo

Janot declara suspeição para analisar trecho de delação que cita Eunício Oliveira

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, declarou ao Supremo Tribunal Federal (STF) suspeição para analisar trecho da delação premiada do ex-diretor de relações institucionais da Hypermarcas Nelson Mello que cita repasses para a campanha do atual senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) ao governo do Ceará, em 2014.
“Afirmo suspeição, por motivo de foro íntimo, quanto à investigação do ilustríssimo senador Eunício Oliveira. Quanto aos demais, não há impedimento de ordem objetiva ou subjetiva para a condução dos feitos”, escreveu Janot, em despacho datado de 19 de setembro deste ano. O caso foi revelado pelo site de notícias jurídicas “Jota”.
Nelson Mello é um dos delatores da Operação Lava Jato e firmou acordo de colaboração para detalhar as articulações por trás de pagamentos feitos ao lobista Lúcio Bolonha Funaro, ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e a senadores, por meio do lobista Milton Lyra. Os pagamentos eram executados por meio de contratos fictícios firmados entre pessoas indicadas pelos lobistas e o grupo Hypermarcas.
Em depoimento, Mello afirmou que ajudou financeiramente a campanha de Eunício Oliveira para o governo do Ceará em 2014, a pedido de um sobrinho do senador chamado Ricardo. Mediante contratos fictícios, o ex-diretor da Hypermarcas teria pago despesas de empresas que prestavam serviços à campanha do peemedebista. O valor total dos contratos seria de R$ 5 milhões.
Procurada pela reportagem, a assessoria da Procuradoria-Geral da República (PGR) informou que Janot declarou “suspeição” por uma questão de “foro íntimo”, conforme explicitado no documento, mas não entrou em mais detalhes. Com a declaração de suspeição de Janot, coube ao vice-procurador geral da República, José Bonifácio de Andrada, analisar o caso.
Limites
Em acordo de delação premiada assinado com a PGR, Mello contou que procurou os investigadores após perceber que “ultrapassou os limites morais e éticos” ao efetuar pagamentos para o lobista Milton Lyra. Segundo o delator, ao tomar consciência dos erros, ele teria ficado incomodado e resolveu procurar o Ministério Público.

logo_agenciaestado

Por 2018, Ciro tenta atrair governadores petistas

Diante da derrocada do PT nas eleições municipais deste ano e da incerteza quanto à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2018, o grupo político do ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) já negocia com governadores petistas a migração deles para outros partidos que integram seu projeto presidencial.
A negociação está mais avançada no Ceará, Estado de Ciro e em cuja capital, Fortaleza, ele conseguiu eleger, no último domingo, 30, o seu candidato, Roberto Cláudio (PDT). No primeiro turno, a candidata do PT, a ex-prefeita Luizianne Lins (PT), teve 15% dos votos e nem sequer chegou ao segundo turno.
No Estado, o governador Camilo Santana (PT) busca integrar o projeto de Ciro via PSB. Ele já conversou com o presidente do partido, Carlos Siqueira, e aguarda uma definição do cenário eleitoral para tomar a decisão. Uma das possibilidades em debate é de que ele possa disputar o Senado pela sigla em 2018. Isso abriria espaço para o ex-governador Cid Gomes (PDT), irmão de Ciro, concorrer novamente ao governo.
A relação de Santana com o PSB é antiga. Ele e seu pai, o ex-deputado federal Eudoro Santana, já foram filiados ao partido. Santana foi candidato a prefeito de Barbalha pelo PSB em 2000, quando ficou em 4.º lugar. Além disso, tanto Cid como Ciro já integraram o partido, mas trocaram de legenda em 2014 para apoiar a reeleição da presidente cassada Dilma Rousseff. Na ocasião, Eduardo Campos foi o candidato do PSB.
Questionado, Santana desconversou sobre a possibilidade de deixar o PT. “Na vida, não podemos descartar nenhuma decisão”, disse.
Outros nomes. A ideia de interlocutores de Ciro é que, a partir do Ceará, outros governadores do Nordeste também integrem o seu projeto de chegar ao Planalto. No dia 20 do mês passado, o próprio Santana se reuniu com outros dois governadores petistas que, segundo fontes, também têm apontado dificuldades eleitorais em 2018 caso continuem no PT: Rui Costa (Bahia) e Wellington Dias (Piauí). Oficialmente, o encontro foi para discutir a conjuntura política. A saída do PT teria sido um dos assuntos do encontro, que ocorreu em Salvador.
O Nordeste é a região onde o PT, após a chegada de Lula à Presidência, conseguiu mais votos em todas as eleições presidenciais desde 2006. Neste ano, porém, não elegeu nenhum prefeito nas nove capitais da região.
Crise. A principal preocupação dos governadores petistas é de não conseguir se reeleger em 2018, diante da crise que o partido vive e do sentimento antipetista, evidenciado nas urnas com o pior desempenho da legenda em eleições municipais nos últimos 20 anos.
Atualmente, o PT comanda cinco governos estaduais: Piauí, Ceará, Bahia, Minas Gerais e Acre. Apenas no Acre, o governador Tião Viana não poderá tentar a reeleição.
No caso da Bahia, líderes do PDT afirmam que o governador vai conversar com o presidente do partido, Carlos Lupi, sobre uma possível migração para a legenda. Aliados de Costa dizem, porém, achar difícil a mudança.
“Não vi nenhum vestígio remoto disso ainda. Acho improvável. O Rui é um dos fundadores do PT, é do grupo do (ex-ministro) Jaques Wagner”, afirmou o líder do PT na Câmara, Afonso Florence. Por meio de sua assessoria, Costa negou a intenção de deixar o partido.
Da mesma forma, aliados de Wellington Dias afirmam que o governador do Piauí também não tem dados sinais de que vá mudar de partido. “Pelo contrário, ele tem dado sinais de defesa do PT, do ex-presidente Lula”, disse o deputado federal Marcelo Castro (PMDB-PI), que foi ministro da Saúde durante o governo Dilma.
Na Câmara dos Deputados, o partido se prepara para uma possível debandada de parlamentares para outras siglas. Estima-se que até 40 dos 58 parlamentares do partido avaliam a saída da legenda. Segundo apurou o Estado, o PDT tenta atrair a maior parte deste grupo que estaria insatisfeito.
Conteúdo Estadão.

América-MG vence pela segunda vez seguida e mantém o São Paulo a perigo no Brasileirão

No Independência, o América-MG marcou bem, aproveitou-se do vacilo do São Paulo, explorou bem os contra-ataques e venceu por 1 a 0, com gol de Michael. A atuação dos dois goleiros merece ser ressaltada: João Ricardo fechou o gol do Coelho e foi o destaque da equipe, com pelo menos três defesas difíceis. Do outro lado, Denis falhou no lance do único gol do jogo.

globo esporte

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Escândalo na Lava Jato: anel de R$ 800 mil vira elo entre Cabral e Delta

O jornal O Globo publica, em sua edição desta quinta-feira, uma reportagem que retrata o descaso e o deboche das relações políticas e empreiteiras que realizam obras para o poder público. O escândalo ganha as manchetes e se transforma em mais uma prova colhida pela Polícia Federal e Ministério Público Federal dentro da Operação Lava Jato. A reportagem de O Globo revela que o empreiteiro Fernando Cavendish, dono da Delta Construções, em depoimento na Operação Lava Jato, teria pago um anel no valor de R$ 800.000,00 como presente do então governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), para a esposa e, à época primeira dama, Adriana Ancelmo. A fatura do cartão, com nota fiscal da compra do valioso anel, ao preço de 220 mil euros – R$ 800 mil, está nas nãos dos investigadores. O anel foi comprado, de acordo com a reportagem, na filial da Van Cleef & Arpels, famosa joalheria, na Place du Casino, em Mônaco.
O primeiro a se espantar com o presente de Sérgio Cabral para a então primeira-dama, Adriana Ancelmo, foi o empreiteiro Fernando Cavendish, dono da Delta Construções. Cabral o convidou para ir as lojas de Mônaco, onde ambos estavam, a procura de uma recordação para Adriana que aniversariava no dia seguinte, 18 de julho de 2009. Na porta da filial da Van Cleef & Arpels, famosa joalheria, na Place du Casino, o governador do Rio entrou na loja junto com o amigo. O presente já estava reservado: um anel de ouro branco e brilhantes. Quando tudo já estava acertado, Cavendish descobriu que a conta lhe custaria. Valor: € 220 mil (cerca de R$ 800 mil).
Cavendish deixou a loja com a suspeita de que já estava tudo armado e a promessa do amigo de que a dívida seria acertada mais à frente.
Uma foto de Cabral com Adriana, onde a mulher exibe o anel na mão esquerda, é uma das provas exibidas por Cavendish à força-tarefa da Lava-Jato no Rio e em Brasília para provar a compra. O empresário cumpre prisão domiciliar e está negociando a delação premiada. Ele entregou a nota fiscal, o certificado de compra e o comprovante de pagamento com cartão de crédito.
A fotografia foi feita no restaurante Le Louis XV, do chef Alan Ducasse, no Hotel de France, em Mônaco, onde o grupo de amigos liderado por Cabral estava hospedado. O presente foi dado por Cabral durante o jantar, na presença de Cavendish, da namorada do empresário, Jordana Kfouri, do ex-secretário de Saúde Sérgio Côrtes e mulher, e do então assessor de Cabral Luiz Carlos Bezerra e mulher.
Em 2012, quando Cabral rompeu com Cavendish após as revelações de que a Delta usava as empresas do bicheiro Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, para lavar dinheiro, o anel foi devolvido. Esta descoberta desencadeou a Operação Monte Carlo da PF, deflagrada em Goiás para desbaratar uma organização que explorava máquinas caça-níqueis, e levou à prisão o diretor da Delta Centro-Oeste, Claudio Abreu.

Com informações O Globo

Xand e Solange não comentam investigação em primeiro show após operação da PF

A banda Aviões do Forró fez sua primeira apresentação depois da operação da Policia Federal que investiga esquema de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro envolvendo o grupo. O show ocorreu na madrugada desta quinta-feira, 20, em Lavras da Mangabeira. A banda Solteirões do Forró, que também está sendo investigada pela PF, também se apresentou na cidade.
Durante duas horas de show, Xand e Solange Almeida não fizeram nenhuma referência ao ocorrido na última terça-feira, 18, quando os dois foram conduzidos coercitivamente à sede da PF, no Bairro de Fátima.Após a apresentação, a dupla não deu entrevistas, nem recebeu os fãs. O vocalista da banda Solteirões do Forró, Zé Cantor, também prestou depoimento. O POVO tentou contato com a assessoria das bandas durante as apresentações, mas teve o acesso negado pelos seguranças.
Os shows realizados nesta quinta-feira, 20, faziam parte da "Festa da Vitória do Povo" promovida pelo prefeito eleito de Lavras da Mangabeira, Ildsser, que é sobrinho do senador Eunício Oliveira (PMDB). Os dois políticos cearenses subiram ao palco, ao lado dos vocalistas, para agradecer os votos obtidos.A estimativa da organização é de que 30 mil pessoas tenham comparecido ao local. As apresentações modificaram a rotina de Lavras da Mangabeira e das cidades vizinhas, como Cedro e Icó, que tiveram pousadas lotadas.
o povo online

Temer ordena 'lei do silêncio' no Planalto

O governo tenta evitar que a tensão provocada em Brasília afete o Palácio do Planalto depois da prisão do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A blindagem ao Planalto foi determinada pelo próprio presidente Michel Temer, que deixou Tóquio na manhã de quarta-feira, 19, quando a ordem do juiz Sérgio Moro foi executada.
Apesar do pedido para que ninguém comentasse o episódio para evitar levar a crise para o governo, há uma preocupação com os problemas que Cunha possa criar para Temer e seus ministros, atrapalhando os planos de assegurar a aprovação da PEC do Teto, na semana que vem, e até a governabilidade.
Apesar de já esperar que a prisão de Cunha pudesse acontecer a qualquer momento, a notícia causou surpresa no governo e veio em um dia em que o Planalto acreditava que conseguiria uma agenda positiva com a primeira redução dos juros em quatro anos. O governo contava com isso para ajudar no "clima favorável" para o qual estava trabalhando, para contribuir na votação da PEC do Teto.
Cunha é considerado uma pessoa "vingativa" e já disse que "não vai cair sozinho". Com isso, auxiliares de Temer sabem que ele tem ligação com vários ministros peemedebistas e pode, em caso de fazer delação premiada, tentar arrastar para o buraco aliados do presidente. A principal ameaça é ao secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Moreira Franco, a quem Cunha já acusou de estar por trás de irregularidades no Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS), que é administrado pela Caixa e financia obras de infraestrutura.
A assessoria de Moreira diz que ele e Cunha são de grupos políticos diferentes e os dois "não conversam bem, não dialogam e não se dão". Afirmam ainda eventual delação do deputado cassado não preocupa Moreira. O secretário estava em Tóquio e embarcou para o Rio antes de a prisão ser noticiada.
Volta
Temer embarcou na manhã de quarta-feira, 19, para Brasília, antecipando sua volta do Japão. Apesar de a ordem ser evitar comentários sobre a prisão antes da chegada de Temer, o Planalto afirmou que a preocupação com uma possível delação "é zero". "Não há preocupação nenhuma", afirmou a Secretaria de Imprensa. "O governo tem reiterado que não há nenhuma interferência na Lava Jato e que as ações são de outro poder, que é completamente independente".
Sobre a antecipação da volta de Temer, a secretaria informou que a decisão foi tomada há pelo menos dois dias. 
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Guimarães ataca o movimento ‘Muda PT’ e parlamentares que ameaçam deixar o partido

Matéria publicada na Folha de S. Paulo na noite desta terça-feira, 18, expõe críticas do ex-líder do governo Dilma Rousseff na Câmara e da bancada do PT, o deputado federal cearense José Guimarães, a parlamentares que ameaçam deixar a legenda afirmando que a ideia é uma “aventura” que ameaça a democracia.
Reconhecendo que o PT cometeu erros e que vive um de seus piores momentos, Guimarães disse à Folha que o partido deve deixar em segundo plano a tentativa de voltar ao Palácio do Planalto em 2018 para se concentrar no fortalecimento de sua bancada no Congresso.
“Quem manda no país é o Congresso”, afirmou, em linha diversa de toda a diretriz petista nas últimas décadas, que priorizou a chegada e a manutenção do poder federal.
De acordo com a publicação, as declarações de Guimarães são uma reação ao grupo que se intitula “Muda PT”, que reuniu nesta segunda cerca de 40 parlamentares, a maior parte deputados, com o intuito de antecipar mudanças no comando do PT ou precipitar uma saída em massa da legenda.
Após o impeachment de Dilma Rousseff, o partido vive uma crise sem precedentes, que se materializou no péssimo desempenho nas eleições municipais deste ano. Entre os maiores, o PT foi o que, de longe, mais encolheu.
“É um erro estratégico para a democracia ventilar a possibilidade de sair do PT para qualquer uma outra aventura. Alguns saíram do PT dizendo que estavam desgastados e que queriam disputar as eleições. Se deram muito mal”, afirmou Guimarães, se referindo a Marta Suplicy (PMDB), derrotada na disputa pela Prefeitura de São Paulo.
O “Muda PT” defende também a possibilidade de fusão ou frente com outras legendas de esquerda. Nesta terça, deputados da corrente majoritária da sigla (a CNB) se reuniram em Brasília para tentar definir estratégias contra o “Muda PT”.
De acordo com Guimarães, que diz não ter participado do encontro, a saída é a reconstrução partidária. “Mudar de cima a baixo e de baixo pra cima, fazer uma verdadeira revolução interna, no sistema, na mudança das direções, na desburocratização do partido”, afirmou, acrescentando que hoje o debate partidário está reduzido às correntes internas, sem voz a quem não se filia a nenhuma delas. Ele também defende antecipação do congresso e das eleições internas do PT.
2018
Segundo o ex-líder de Dilma, os principais quadros do partido deveriam se candidatar a deputado federal e senador, inclusive Luiz Inácio Lula da Silva, caso decida não concorrer à Presidência.
“Quem manda no país é o Congresso. Governador não influencia muita coisa. Acho que o PT tem que priorizar o Legislativo em 2018., Os principais quadros deveriam ser candidatos a deputado federal e senador, principalmente deputado. Ampliar nossas bancadas e eleger deputados é decisivo para quem for governar ou para quem for fazer oposição. Estou vendo isso dramaticamente aqui.”
Além de Lula, ele citou o ex-ministro Jaques Wagner (BA), o ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro e o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, derrotado em primeiro turno nas eleições do início do mês.
O Congresso foi o palco da derrocada de Dilma, o que levou de roldão o partido. Os votos para deputado federal também definem a fatia do recurso de fundo partidário a receber, hoje a principal fonte de renda das legendas. Hoje o PT tem 59 dos 513 deputados e 10 dos 81 senadores. 
As informações são da Folha de S. Paulo.

Vox Populi: 80% dos brasileiros rejeitam idade mínima de 65 anos para aposentadoria

Uma pesquisa do Instituto Vox Populi encomendada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) revela que 80% dos brasileiros rejeitam a proposta do Governo Michel Temer de elevar a idade mínima da aposentadoria para 65 anos com, pelo menos, 25 anos de contribuição. De acordo com os números da pesquisa,15% dos entrevistados apoiam a mudança, 4% não concordam nem discordam e 2% não souberam opinar.
O Governo Federal ainda discute internamente as mudanças nas regras da aposentadoria. Uma das propostas, porém, é a mudança no tempo de idade e de contribuição. A equipe técnica do Palácio do Planalto designada para avaliar e elaborar o projeto de reforma previdenciária a ser enviada ao Congresso Nacional quer contar, também, com o apoio dos Governos Estaduais.
A avaliação dos técnicos é que, se não houver mudanças nas regras de aposentadoria e pensões para deputados estaduais e magistrados, por exemplo, a reforma previdenciária terá poucos resultados para os estados. O presidente Michel Temer defende que as novas regras sejam uniformes para trabalhadores da iniciativa privada e servidores públicos. Temer chegou a dizer que as regras também atingirão parlamentares federais.
O Instituto Vox Populi ouviu, ainda, os brasileiros sobre a PEC 241, que institui limites para os gastos públicos e foi aprovada em primeiro turno pela Câmara Federal. De acordo com a pesquisa, 70% são contra a PEC 241, 19% concordam com o teto nos gastos públicos, 6% são indiferentes e 5% não opinaram.
O Vox Populi colheu a opinião dos entrevistados sobre a avaliação do Governo Federal. Segundo a pesquisa, o Governo Temer é mal avaliado por 74% dos brasileiros e para 11% o desempenho é positivo.A pesquisa, realizada entre os dias 9 e 13 de outubro, ouviu 2.000 pessoas com idade superior a 16 anos em 116 municípios de todos os Estados (exceção de Roraima) e no Distrito Federal.
ELEIÇÃO 2018

A pesquisa do Vox Populi abordou, ainda, os brasileiros sobre as eleições de 2018 para Presidência da República. O resultado aponta que, entre os meses de abril e junho,passou de 29% nos para 34% o percentual dos brasileiros que pretendem votar no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O senador Aécio Neves (PSDB) aparece com 15%, a ex-senadora Marina Silva (Rede) tem 11%, o deputado Jair Bolsonaro (PP) tem 7% e Ciro Gomes (PDT), 5%. Se o candidato do PSDB fosse o governador Geraldo Alckmin, Lula teria 35% e o tucano, 12%.
A pesquisa foi realizada entre os dias 9 e 13 de outubro. Foram entrevistadas 2 mil pessoas com idade superior a 16 anos no Distrito Federal e em todos os Estados brasileiros, exceto Roraima, em 116 municípios.
ceará agora

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Palmeiras bate Figueirense e volta a abrir distância na ponta; Figueira se complica


O Palmeiras venceu o Figueirense por 2 a 1, neste domingo, no Orlando Scarpelli, em Florianópolis, e ainda contou com a preciosa colaboração do Internacional, que venceu o Flamengo, por 2 a 1, em Porto Alegre. Com a soma dos dois resultados, o Verdão volta a abrir quatro pontos de folga na liderança do Brasileirão, a sete rodadas o fim. Jean marcou os dois gols do Verdão; Rafael Silva descontou para o Figueira, que continua em situação bem delicada. Com 32 pontos, está em 18º lugar.

globo esporte

Vitinho sozinho: atacante brilha em virada do Internacional sobre o Flamengo


Vitinho entrou em campo decidido a decidir. Desde o primeiro minuto da partida contra o Flamengo, abusou das jogadas individuais todas as vezes que tinha a bola nos pés. É bem verdade que vacilou em alguns momentos. Mas brilhou. Estava na área para fazer o gol que decretou a vitória por 2 a 1 de virada, neste domingo, no Beira-Rio, pela 31ª rodada. O resultado tirou o Colorado da zona de rebaixamento e fez o Rubro-Negro ver o líder Palmeiras mais longe.

globo esporte

Na volta de Oswaldo, Corinthians vence América-MG e continua vivo em briga pelo G-6


O Corinthians fez o dever de casa pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em busca de uma vaga no G-6 e, consequentemente, na Libertadores do ano que vem, não tomou conhecimento do lanterna do Brasileirão e venceu o América-MG por 2 a 0, placar construído no primeiro tempo com gols de Romero e Guilherme. A partida marcou a reestreia do técnico Oswaldo de Oliveira no banco alvinegro.

globo esporte

Com gol no fim e polêmica, Botafogo despacha o Galo e vence a quarta seguida


Teve emoção, teve polêmica e, como virou hábito, teve vitória do Botafogo na Ilha do Governador neste domingo. Imparável, o Glorioso fez 3 a 2 sobre o Atlético-MG, pela 31ª rodada, e conquistou o quarto triunfo consecutivo no Brasileirão, consolidando-se no G-6. Os cariocas abriram 2 a 0 no primeiro tempo com Bruno Silva, em lance muito contestado, e Pimpão, permitiram a reação do Galo, com Fred e Leonardo Silva, mas a cabeçada certeira de Dudu Cearense, já nos acréscimos, deu números finais ao jogo. Ao apito final, muita reclamação dos mineiros com o trio de arbitragem.

globo esporte

Pesquisa mostra Hillary 11 pontos percentuais à frente de Trump

Hillary Clinton e Donald Trump
A candidata do Partido Democrata, Hillary Clinton, está 11 pontos percentuais à frente do republicano Donald Trump na corrida eleitoral para a presidência dos Estados Unidos. Pesquisa elaborada pela rede de televisão norte-americana NBC News, em parceria com The Wall Street Journal, divulgada neste domingo (16), informa que Hillary está com 48% da preferência do eleitorado contra 37% de Trump. As eleições serão no dia 8 de novembro.
O distanciamento de Hillary em relação a Trump ocorre a três dias do terceiro debate ente os dois candidatos, marcado para quarta-feira (19)  em Las Vegas, no estado de Nevada. O debate será  última oportunidade de Trump recuperar eleitores. Há duas semanas todas as pesquisas mostravam pequena margem de diferença entre os dois candidatos. Porém, a divulgação de um vídeo de 2005, em que Trump faz comentários ofensivos em relação às mulheres, e o surgimento de vários relatos de mulheres que disseram ter sido assediadas por ele, em períodos que variam entre sete e 30 anos atrás, provocaram a queda do apoio ao republicano.
Diante dos novos resultados das pesquisas, Donald Trump intensificou seus comentários nas redes sociais que colocam em dúvida a integridade do processo eleitoral norte-americano. Em mensagem postada neste domingo no Twitter, Trump disse o seguinte: "As eleições estão sendo manipuladas pela mídia desonesta, favorecendo Hillary Clinton. Isso é ruim". O comentário foi feito depois que o governador de Indiana, Mike Pence, que concorre a vice-presidente na chapa republicana, deu uma entrevista ao programa Meet the Press, da rede NBC News, com expressões conciliadoras sobre os rumos do pleito norte-americano. Pence disse que Trump "vai aceitar com certeza o resultado da eleição".
Mike Pence deu hoje uma série de entrevistas tentando relativizar as críticas de Trump, que fogem à tradição norte-americana. Em todas as eleições, os candidatos costumam respeitar o processo e aceitar as críticas da mídia, mesmo que estejam em desvantagem nas pesquisas. Nos últimos dias, porém, em diferentes comícios, Trump atacou a postura crítica da imprensa, citando especificamente o jornal The New York Times. Segundo o republicano, esse posicionamento da imprensa faz parte de uma conspiração internacional que tem o objetivo de destruir a democracia americana. Conforme disse, dessa conspiração também faz parte sua adversária Hillary Clinton.
Apesar da posição conciliatória de Pence, dois outros conselheiros de Trump – Newt Gingrich e Rudolph Giuliani – incentivam as críticas radicais do candidato republicano. Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara dos Representantes (equivalente à Câmara dos Deputados do Brasil) e Rudolph Giuliani, ex-prefeito de Nova York, insinuam que os democratas estão contabilizando até votos de pessoas que já morreram para tentar provar o avanço de Hillary Clinton na corrida eleitoral. O senador republicano Jef Sessions, que representa o estado do Alabama – um dos mais próximos apoiadores de Donald Trump – afirma que as eleições atuais estão sendo manipuladas.
Alguns políticos republicanos, porém, não compartilham dessa visão radical dos conselheiros de Trump. Um deles, o atual presidente da Câmara de Representantes, Paul Ryan, disse, por meio da porta-voz Ashlee Strong, que a democracia americana "depende da confiança no resultado das eleições". Segundo Ashlee, Paul Ryan "está totalmente confiante de que as eleições serão realizadas com integridade."

Agência Lusa

Instituições financeiras esperam redução da Selic para 14% ao ano

Instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) esperam por uma redução de 0,25 ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic, nesta semana. Amanhã e na próxima quarta-feira (19), o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC reúne-se para definir a taxa de juros, que atualmente está em 14,25% ao ano.
Na última reunião deste ano, nos dias 29 e 30 de novembro, as instituições financeiras esperam por nova redução da Selic. Segundo a projeção divulgada no boletim Focus (relatório semanal do BC), a Selic deve terminar 2016 em 13,5%. A estimativa anterior era 13,75%. Para 2017, a expectativa é de que o Copom dê continuidade ao ciclo de redução da Selic, que deverá encerrar o período em 11% ao ano.
A Selic é o principal instrumento usado pelo Banco Central para controlar a inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando o Copom reduz os juros básicos, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, mas a medida alivia o controle sobre a inflação. Quando mantém a taxa, o Copom considera que ajustes anteriores foram suficientes para alcançar o objetivo de controlar a inflação.
Inflação
A divulgação da inflação de setembro, menor do que se esperava, contribuiu para reduzir a projeção da Selic. No último dia 7, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,08% em setembro, o menor nível para o mês desde 1998, quando chegou a -0,22%. Em 12 meses, a taxa acumulada chega a 8,48%, abaixo dos 8,97% acumulados até agosto deste ano, mas acima do teto da meta de inflação do governo federal, que é de 6,5%
Para este ano, as instituições financeiras reduziram de 7,04% para 7,01% a estimativa para o IPCA. Esta foi a quinta redução consecutiva. Para 2017, a expectativa passou de 5,06% para 5,04%, na segunda queda seguida.
As instituições financeiras também fazem projeção para o Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Neste ano, a expectativa de queda do PIB passou de 3,15% para 3,19%. Em 2017, a projeção de crescimento foi mantida em 1,3%.

agências brasil